terça-feira, 16 de janeiro de 2018

A terra gira no sentido anti-horário
O homem no horário, anti-horário ou não!
Pode ser apenas a sensação de caminhar
E com paisagens do passado e do futuro
Espera a resultante sem muita noção
E eu aqui, segurando o bastão
Para entregá-lo na última estação.
(Filosofia de Juçui)

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018



Legenda

1- Eça de Queiroz
2- Machado de Assis
3- Vem sentar-te comigo Ricardo Reis (heterônimo de Fernando Pessoa)
4- No meio do caminho Drummond
5- Olavo Bilac
6- autoria própria
7- Desencanto Manuel Bandeira
8- Vladimir Maiakowski

domingo, 14 de janeiro de 2018

Cadeia têxtil

e antes da etiqueta:
o que há na camiseta?

mãos
[e dramas]

plantio e colheita de algodão
[poeira calor chuva frio]

fibras que geram fios
fios que criam tramas
tramas que ganham recortes

tesouras
máquinas
[e cortes]

malhas que geram formas
formas que criam peças
peças que ganham vida

rolos
lâminas
[e mortes]

linhas agulhas 
pontos alinhavos
corpos na costura
[e sob sutura]

as posturas de quem
[embrulha sonhos e]
embala pacotes

as aventuras de quem
[se arrisca e]
faz o transporte

o peso de quem
carrega e descarrega
as cargas
[próprias e dos]
caminhões


o azar de quem
se desloca

[pra tentar melhor sorte
em rincões]

mas a estampa de paz
da camiseta
não traz

as informações 
da etiqueta
não contam

e todos compram
a malha fria
da vitrine

e pagam
pela grife
da novela

e se atropelam
em filas e bancas
de promoções

a ignorarem que por trás
das camisetas brancas
existe gente

[negra estrangeira pobre
até menor]

[em condições e meios
de trabalho indignos]

[refém
de lixos luxos e lucros
alheios]

[a reboque]
e o pior:
que por trás
de manequins estáticos
existe gente disponível
[em estoque]

Renata de Aragão Lopes


sábado, 13 de janeiro de 2018


Legenda

1- Machado
2- Leminski
3- Machado de Assis
4- Nesse mundo Adelândia
5- Machado de Assis

domingo, 17 de dezembro de 2017



Legenda

1- Dor Elegante  Leminski
2- Quadrilha  Drummond
3- Sandra Teixeira
4- Fernando Pessoa
5- Machado de Assis
6- Machado de Assis

domingo, 3 de dezembro de 2017

Retrato
Eu não tinha este rosto de hoje,
Assim calmo, assim triste, assim magro,
Nem estes olhos tão vazios,
Nem o lábio amargo.
Eu não tinha estas mãos sem força,
Tão paradas e frias e mortas;
Eu não tinha este coração
Que nem se mostra.
Eu não dei por esta mudança,
Tão simples, tão certa, tão fácil:
— Em que espelho ficou perdida
a minha face?

Cecília Meireles

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Dentre todas as Almas já criadas
(Emily Dickinson)


Dentre todas as Almas já criadas -
Uma - foi minha escolha -
Quando Alma e Essência - se esvaírem -
E a Mentira - se for -

Quando o que é - e o que já foi - ao lado -
Intrínsecos - ficarem -
E o Drama efêmero do corpo -
Como Areia - escoar -

Quando as Fidalgas Faces se mostrarem -
E a Neblina - fundir-se -
Eis - entre as lápides de Barro -
O Átomo que eu quis!

quarta-feira, 15 de novembro de 2017


Legenda

1- Recomeçar  Drummond
2- Miguel de Cervantes
3- Machado de Assis
4- Teoria do Humanitismo Machado de Assis

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Eu parto com o ar – sacudo minha neve branca ao sol que foge
Desfaço minha carne em redemoinhos de espuma,
Entrego-me ao pó para crescer nas ervas que amo;
Se queres ver-me novamente, procura-me sob teus pés.
Dificilmente saberás quem sou ou o que significo;
Não obstante serei para ti boa saúde
E filtrarei e comporei teu sangue.
E se não conseguires encontrar-me, não desanimes;
O que não está numa parte está noutra
Em algum lugar estarei à tua espera.

Walt Whitman

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

sábado, 11 de novembro de 2017

Não sei o que é Deus,
mas revelações acontecem,
além das palavras.
Filosofia de Juçui

sexta-feira, 10 de novembro de 2017


Legenda

1- Canção do dia de sempre  Mário Quintana
2- Vladimir Maiakovski
3- José Saramago
4- Leminski
5- Olavo bilac
6- Olavo Bilac 

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Hiroshima
(6 a 8 de 45)

O pássaro
 metálico
sobrevoou a cidade 
atônita
Desovou no ar
a maldição, 
que se chocou
 com a terra
e na hora
H
explodiu,
fazendo surgir 
no horizonte
o cogumelo
branco-acinzentado
que se avermelhou
de sangue.
A natureza se surpreendeu.
Os animais se surpreenderam.
As pessoas se assustaram.
Gritos e desespero
antes do silêncio
mortal.
A poeira se dissipou,
o pássaro se foi.
Cheirou-se uma aridez cadavérica,
E a humanidade
perdeu
um pouco mais de sua 
humanidade.
Jorge Lenzi

quarta-feira, 8 de novembro de 2017


Legenda

1- Machado de Assis
2- autor desconhecido
3- Machado de Assis
4- José Saramago
5- Versos Intimos  augusto dos Anjos
6- Machado de Assis

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

O tempo não faz distinção
trata os filhos por iguais.
Não condena, não aprova,
é testemunha de ilusões.

No faz-de-conta da vida,
o tempo é ignorado
como se tivesse parado.

Mas nos desgastes provocados pelo tempo
O homem se vê desfigurado.
E, sem propósito, não entende 
o verdadeiro sentido da velha casa nova
E do tempo.
Filosofia de Juçui


domingo, 5 de novembro de 2017


Legenda

1- Guimarães Rosa
2- Cristiana Passinato
3- A rua dos cataventos  Mário quintana

sábado, 4 de novembro de 2017

quinta-feira, 2 de novembro de 2017


Legenda

1- Machado de Assis
2- Eu me importo  Renata De Aragão Lopes
3- Profundamente Manuel Bandeira
4- Charles Bukowski

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Cotidiano

Sozinho todo dia assim começo.
Sozinho todo dia assim termino.
Sozinho todo dia eu escrevo,
tudo aquilo que eu sinto.
Sozinho só eu encontro sentido no que escrevo.
Sozinho só escrevo o que não tem sentido.
Rogério Tadeu Ferreira
poeta recreense

domingo, 29 de outubro de 2017


Legenda

1- José Saramago
2- Vestido listrado 
3- Machado de Assis
4- Emily Dickinson
5- Emily Dickinson
6- Gumarães Rosa

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Vagando pelas montanhas
Vejo nuvens no horizonte
Que seguem sem destino
Os ventos do sul e do norte

Ao pé das montanhas eu vi
Encontros e desencontros
Os homens escrevem histórias
Sem contar com as tempestades

Eu sempre gostei de romances
E espero um gran finale zen
Vagando pelas montanhas 
Vejo nuvens no horizonte.
Filosofia de Juçui

segunda-feira, 23 de outubro de 2017



Legenda

1- Vladimir Maiakowski
2- A lua no cinema  Leminski
3- Augusto Branco
4- Leminski
5- Emily Duckinson
6- Pablo Neruda 

domingo, 22 de outubro de 2017

A simplicidade é o mais alto grau de sofisticação.
Leonardo da Vinci

O olhar de quem odeia é mais penetrante que o olhar de quem ama.
Leonardo Da Vinci

Se compreenderes que a velhice tem por seu sustento a sabedoria, hás de esforçar-te durante a mocidade para que nos derradeiros anos, não te falte alimento.
Leonardo Da Vinci

sábado, 21 de outubro de 2017

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Incompletamente eu

é pouco
trocar de roupa
lavar o rosto
pintar a boca

(disfarce)

é preciso 
trocar de humor
lavar a alma
pintar o sorriso

(criar-se)
Renata De Aragão Lopes

quinta-feira, 19 de outubro de 2017


Legenda

1- Os instantes superiores da alma Emily Dickinson
2- Canção amiga  Drummond
3- autor desconhecido
4- Saramago
5- Miguel de Cervantes

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Vivem em nós inúmeros

Vivem em nós inúmeros;
Se penso ou sinto, ignoro
Quem é que pensa ou sente.
Sou somente o lugar
Onde se sente ou pensa.
Tenho mais almas que uma.
Há mais eus do que eu mesmo.
Existo todavia
Indiferente a todos.
Faço-os calar: eu falo.
Os impulsos cruzados
Do que sinto ou não sinto
Disputam em quem sou.
Ignoro-os. Nada ditam
A quem me sei: eu escrevo.

Ricardo Reis (FP)



domingo, 15 de outubro de 2017

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Palavras

Quem me conhece sabe que não sou muito de falar,
uma vez palavras jogadas ao ar
formam vento, redemoinho, tormentas, furacão.
Um dia falei, vi e vivi o vento,
a tormenta e o furacão
que jogou um coração ao chão 
Para dar fim ao coração só com perdão,
mas a marcas do vento, nem o tempo apagará.
Uma vez palavras jogadas ao ar
furacão irão formar.
Muito cuidado então, devemos ter ao falar.
Palavras para construir, palavras para transformar.
palavras sem machucar, palavras só para amar,
palavras brisa para te tocar.
Marisélia Souza
(extraído da antologia poética "Universos Divergentes")

quinta-feira, 12 de outubro de 2017


Legenda

1- Invictus  william Henley
2- Liberdade  Paul Eluard
3- Razão de ser  Leminski

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Eternidade 


Estou preso na eternidade de qualquer momento,
a cada passo,
do seu ciclo.
Sou eterno como qualquer ato,
que fez parte de um todo.
Impossível é ser somado no desconhecido.
Eu sou eterno e estou preso,
talvez por não saber quando hei de partir
na eternidade em que vivo.

Me pergunto!!!

Não! Eu sou eterno.

Porque a eternidade é apenas um novo segundo.
Rogério Tadeu Ferreira

terça-feira, 10 de outubro de 2017


Legenda

1- Razão de ser Leminski
2- Invictus  William Henley
3- Desculpe Rio Paraibuna  Viliam Dias
4- O pássaro azul  Charles Bukowski

domingo, 24 de setembro de 2017

Em um momento

O silêncio deixou-me surdo.
A escuridão deixou-me cego.
A solidão deixou-me mudo.

O tato deixou-me preso.
O cheiro deixou-me opaco.
O gosto deixou-me mecânico.

O sono deixou-me liberto.
O mundo manteve-se estático.
A poesia compusera-se de espaço.

Mas a quase morte se fez de versos.
Quando um anjo me deixou nos dedos.
A dor desfez o desmaio.
Rogério Tadeu Ferreira

sábado, 23 de setembro de 2017


Legenda

1- Metade Oswaldo Montenegro
2- Machado de Assis
3- Machado de Assis
4- Emily Dickinson
5- Machado de Assis

domingo, 17 de setembro de 2017

Para Além da Curva da Estrada


Para além da curva da estrada 
Talvez haja um poço, e talvez um castelo, 
E talvez apenas a continuação da estrada. 
Não sei nem pergunto. 
Enquanto vou na estrada antes da curva 
Só olho para a estrada antes da curva, 
Porque não posso ver senão a estrada antes da curva. 
De nada me serviria estar olhando para outro lado 
E para aquilo que não vejo. 
Importemo-nos apenas com o lugar onde estamos. 
Há beleza bastante em estar aqui e não noutra parte qualquer. 
Se há alguém para além da curva da estrada, 
Esses que se preocupem com o que há para além da curva da estrada. 
Essa é que é a estrada para eles. 
Se nós tivermos que chegar lá, quando lá chegarmos saberemos. 
Por ora só sabemos que lá não estamos. 
Aqui há só a estrada antes da curva, e antes da curva 
Há a estrada sem curva nenhuma. 
Alberto Caeiro

(heterônimo de Fernando Pessoa) 

sábado, 16 de setembro de 2017


Legenda

1-  Autor desconhecido
2- Machado de Assis
3- Machado de Assis
4- Dois Horizontes

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

A bailarina esquecida
Renata De Aragão Lopes


de dentro dessa caixinha,
coisa alguma 
é minha:

nem joia,
nem pluma,
nem lembrança.

sou só uma dança
guardada 
entre miudezas,

uma valsa
jamais vista
a luzes acesas,

como se falsa
a melodia
do pianista.

da caixinha,
eu lhe sopro a clave
pra que você exista.

segunda-feira, 11 de setembro de 2017


Legenda

1- Os instantes superiores da alma  Emily Dickinson
2- O pássaro azul  Charles Bukowski
3- Canção amiga  Drummond

domingo, 10 de setembro de 2017

Os dias são inspiradores, com cheiros, sabores, que revelam o invisível aos olhos, impregnam como a nota mais delicada da canção e conquistam simpatia pela obra truculenta do criador.
Filosofia de Juçui
Sandra Teixeira

sábado, 9 de setembro de 2017


Legenda

1- Eu me importo Renata De Aragão Lopes
2- Miguel de Cervantes
3- Canção do dia de sempre  Mário Quintana
4- Machado de Assis

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

A voz

a voz pede passagem
enquanto eu peço carona

a alma é livre em viagem
o corpo é que me aprisiona

viver exige coragem
disponho do que não sou  dona

o sonho é breve paragem 
de tão leve o corpo ressona

a alma me leva consigo
a um tempo futuro ou antigo

e assim me revela a vantagem:
só mergulho se venho à tona
Renata De Aragão Lopes

terça-feira, 5 de setembro de 2017


Legenda

1- Thainá Cunha poeta juizforana
2- Círculo Vicioso Machado de Assis
3- Liberdade Paul Eluard

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Autor

O sangue me circula dia a dia.
A estrada me caminha passo a passo.
O alimento me dirige nas mãos, na boca,
e se despede do desnecessário.

O coração me bate a cada instante.
O ar me respira como um todo.
Ainda a resto, inítil conduto.

Os lugares me enxergam.
Os ambientes me escutam.
A matéria me toca.

A imaginação me cria.
O pensamento me formula.
A poesia me escreve.
Rogério Tadeu Ferreira