sexta-feira, 18 de agosto de 2017


fragmento
O guardador de Rebanhos 
Mas se Deus é as árvores e as flores 

E os montes e o luar e o sol, 
Para que lhe chamo eu Deus? 
Chamo-lhe flores e árvores e montes e sol e luar; 
Porque, se ele se fez, para eu o ver, 
Sol e luar e flores e árvores e montes, 
Se ele me aparece como sendo árvores e montes 
E luar e sol e flores, 
É que ele quer que eu o conheça 
Como árvores e montes e flores e luar e sol. 

Alberto Caieiro
hereterônimo
Fernando Pessoa

quarta-feira, 16 de agosto de 2017


Legenda

1- Murilo Mendes
2- Drummond
3- Murilo Mendes
4- O teu olhar  Florbela Spanca
5- Murilo Mendes

terça-feira, 15 de agosto de 2017

"De tanto ver triunfar as nulidades,
de tanto ver prosperar a desonra,
de tanto ver crescer as injustiças,
de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus.
O homem chega a desanimar das virtudes,
a rir-se da honra,
a ter vergonha de ser honesto."
Rui Barbosa

segunda-feira, 14 de agosto de 2017


Legenda

1-  Pablo Neruda
2- Drummond
3- Clarice Lispector
4- Clarice Lispector
5- Clarice Lispector
6- Emily Dickinson

domingo, 13 de agosto de 2017

Sempre nos pedem para compreender o ponto de vista do próximo não importa quão antiquado tolo ou obnóxio.
Pedem para enxergar com bondade todos os seus erros, suas vidas desperdiçadas, principalmente se eles são velhos.
Mas envelhecer é tudo que nós fazemos. Eles envelheceram mal porque viveram fora de foco, eles se recusaram a entender. Não é culpa deles? É culpa de quem? Minha?
Me pedem para esconder deles meu ponto de vista por medo de seus medos.
Envelhecer não é crime
mas a vergonha de uma vida deliberadamente desperdiçada entre tantas
vidas deliberadamente desperdiçadas
é. 
Charles Bukowski

sábado, 12 de agosto de 2017


Legenda


1- Murilo Mendes
2- Murilo Mendes
3-  Hamlet  Shakespeare
Que se o amor não se perde em vida ausente,
menos se perderá por morte escura;
porque, enfim, a alma vive eternamente,
e amor é afeito d'alma, e sempre dura.

Luiz Vaz de Camões

quinta-feira, 10 de agosto de 2017


Legenda
1- Razão de ser  Leminski
2- Murilo Mendes
3- Murilo Mendes
4- Murilo Mendes

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Não chores diante do meu túmulo
Mary Elizabeth Fry

Não chore à beira do meu túmulo,

eu não estou lá… eu não dormi.
Estou em mil ventos que sopram,
E a neve macia que cai.
Nos chuviscos suaves,
Nos campos de colheita de grãos.
Eu estou no silêncio da manhã.
Na algazarra graciosa,
De pássaros a esvoaçar em círculos.
No brilho das estrelas à noite,
Nas flores que desabrocham.
Em uma sala silenciosa.
No cantar dos pássaros,
Em cada coisa que lhe encantar.
Não chore à beira do meu túmulo desolado,
Eu não estou lá – eu não parti.



terça-feira, 8 de agosto de 2017


Legenda 

1- Invictus  william Henley
2- Murilo Mendes
3- Miguel de Cervantes
4- Desculpe Rio Paraibuna Viliam Dias

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Ainda a dor da chibatada
Antônio Isair da Silva 
poeta juizforano
(jornal do poeta)

Minha vó era negra de fazenda
e meu avô fez dela sua amante.
Meu pai nasceu em meio a essa contenda,
filho bastardo...nada relevante.

Órfão de pai e mãe. Que coisa horrenda!
analfabeto- uma vida humilhante!
Lutou com amargura asas tremenda;
Mas, para os filhos, foi muito importante.

Hoje me escondo atrás da pele branca
com sangue de uma raça livre e franca,
mas continua a ser discriminada.

Jornalista- poeta conhecido,
mas, quando vejo um negro preterido,
ainda sinto a dor da chibatada.
(poesia premiada em Matias Barbosa)

domingo, 6 de agosto de 2017



Legenda

1- Liberdade Paul Eluard
2- Miguel de Cervantes
3- Emily Dickinson
4- Murilo Mendes
5- Shakespeare

sábado, 5 de agosto de 2017

Brincos
Rogério Tadeu Ferreira
poeta recreense

Tenho vontade de chorar,
mas minhas lágrimas não saem.
Tenho vontade de correr,
mas minhas pernas não se movem.
Tenho vontade de amar alguém,
mas todos só sentem pena de mim.
Tenho vontade de ser um gigante nas palavras,
mas sou apenas um inseto que ninguém escuta.
Tenho vontade de fugir, mas a prisão é a vida.
Tenho vontade de morrer,
mas de que adianta se a esperança só virá após.
Tenho um corpo descrente que não sabe nem ao menos sentir.
Tenho vontade de voltar ao passado,
mas isso é impossível.
Tenho vontade de sofrer,
mas não sei porque consigo mais do que eu queria.
Tenho vontade de não mais repetir este início,
mas é o coração quem fala por mim.
Tenho vontade de destruir a solidão,
mas não sou abstrato.
Tenho vontade de ser feliz
amado e compreendido.
Tenho vontade de saber se me valeu 
algo ter escrito tudo isso

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Universo
Rogério Tadeu Ferreira
(poeta de Recreio MG)

Eu vejo um pequeno ponto,
livre na terra.
Um cisco talvez,
talvez uma pedra

Qual importa o que era?
Qual importa seu tamanho?
Qual importa sua hera?

Será sempre um ponto nesta esfera
Se ele fala não o escuto.
se ele imagina?!
Porque não, eu imagino.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017


Legenda

1- Machado de Assis
2- Machado de Assis
3- Emily Dickinson
4- A Carolina  Machado de Assis
5- Machado de Assis 

terça-feira, 1 de agosto de 2017

A juventude e a flor
Divânia Shuenck
(poetisa juizforana)
A juventude é como uma flor,
A princípio meio indecisa...
Quanto ao tom perfeito!
A tonalidade vem com o tempo,
E quando alcança a cor exata
É soberana e bela,
Contudo extremamente frágil!
Todos a desejam e a invejam!
E sem perceber vão sugando 
Sua beleza em pequenas doses,
Até que o mais vil e mesquinho,
Resolvi por um mero capricho
Arrancá-la...
Diminuindo assim sua doce existencia!
Ou quando a sorte sopra a seu favor,
A flor fica envelhecendo...
E perdendo lentamente seu brilho e sua cor
Um dia ela cai discretamente...
Volta à terra,
Sua única e inseparável amiga!
É o fim e o princípio,
De todos os mortais.





Legenda

1- Círculo Vicioso  Machado de Assis
2- Olavo Bilac
3- No meio do caminho  Drummond
4- Machado de Assis
5- Além da terra, além do céu  Drummond

segunda-feira, 31 de julho de 2017

domingo, 30 de julho de 2017


Legenda

1- Murilo Mendes
2- Emily Dickinson
3- Murilo Mendes
4- Machado de Assis
5- Fernando Pessoa
6- Machado de Assis
7- Murilo Mendes
fragmento
Tabacaria
Álvaro de Campos
heterônimo
Fernando Pessoa

Estou hoje vencido, como se soubesse a verdade. 
Estou hoje lúcido, como se estivesse para morrer, 
E não tivesse mais irmandade com as coisas 
Senão uma despedida, tornando-se esta casa e este lado da rua 
A fileira de carruagens de um comboio, e uma partida apitada 
De dentro da minha cabeça, 
E uma sacudidela dos meus nervos e um ranger de ossos na ida. 


terça-feira, 25 de julho de 2017


Legenda

1- Murilo Mendes
2- Poema em linha reta  Fernando Pessoa
3- Machado de Assis
fragmento
 Tacaria 
Álvaro de Campos 
heterônimo
  Fernando Pessoa

Janelas do meu quarto, 
Do meu quarto de um dos milhões do mundo que ninguém sabe quem é 
(E se soubessem quem é, o que saberiam?), 
Dais para o mistério de uma rua cruzada constantemente por gente, 
Para uma rua inacessível a todos os pensamentos, 
Real, impossivelmente real, certa, desconhecidamente certa, 
Com o mistério das coisas por baixo das pedras e dos seres, 
Com a morte a pôr humidade nas paredes e cabelos brancos nos homens, 
Com o Destino a conduzir a carroça de tudo pela estrada de nada. 

domingo, 23 de julho de 2017


Legenda

1- José Saramago
2- Vladimir Maiakowski
3- Murilo Mendes
4- José Saramago
fragmento 
Tabacaria
(Álvaro de Campos heterônimo Fernando  Pessoa)


Fiz de mim o que não soube

E o que podia fazer de mim não o fiz.
O dominó que vesti era errado.
Conheceram-me logo por quem não era e não desmenti, e perdi-me.
Quando quis tirar a máscara,
Estava pegada à cara.
Quando a tirei e me vi ao espelho,
Já tinha envelhecido.
Estava bêbado, já não sabia vestir o dominó que não tinha tirado.
Deitei fora a máscara e dormi no vestiário
Como um cão tolerado pela gerência
Por ser inofensivo
E vou escrever esta história para provar que sou sublime.

sábado, 22 de julho de 2017


Legenda

1- Somos todos poetas  Murilo Mendes
2- Murilo Mendes
3- Charles Bukowski
4- Shakespeare
Quando é mais penoso compreender tudo, tomar consciência de todas as impossibilidades, de todos os muros de pedra; porém não se humilhar diante de nenhuma dessas impossibilidades, diante de nenhuma dessas muralhas se isso te repugna, chegar, seguindo as deduções lógicas mais inelutáveis, às conclusões mais desesperadoras, no tocante a esse tema eterno de tua parte de responsabilidade nessa muralha de pedra, se bem que esteja claro até a evidência que tu não estás aqui para nada, e em conseqüência mergulhares silenciosamente, mas rangendo deliciosamente os dentes, na tua inércia, pensando que não podes mesmo te revoltar contra seja o que for, porque não há ninguém em suma, porque isto não é senão uma farsa, senão uma falcatrua, porque é uma trapalhada, não se sabe o quê nem se sabe quem, porém que, malgrado todas essas velhacadas, malgrado essa ignorância, tu sofres, e tanto mais quanto menos compreendes.


quinta-feira, 20 de julho de 2017


Legenda

1- A rua dos Cataventos  Mário Quintana
2- Eu me importo   Renata De Aragão Lopes (poetisa Juizforana)
3- Miguel de Cervantes
4- Shakespeare

fragmento

ESCURIDÃO

Lord  Byron

Restaram os oceanos, os rios, os lagos em cujas profundezas
Os navios apodreciam, os mastros despencando em pedaços.
Jaziam para sempre no abismo sem ondas.
A lua amante e amada, exalara antes.
Os ventos secaram no ar estagnado,
As nuvens pereceram.
Escuridão absoluta.
Trevas.

terça-feira, 18 de julho de 2017



Legenda

1- Murilo Mendes
2- Profundamente  Manuel Bandeira
3- Murilo Mendes
4- Shakespeare

segunda-feira, 17 de julho de 2017


Eu conheci um gênio
Charles Bukowski

Eu conheci um gênio no vagão
hoje
de uns 6 anos de idade,
ele se sentou ao meu lado
e quando o trem passou pela costa
e avistamos o mar
ele olhou pra mim e disse
isso não é bonito.

Foi a primeira vez que
percebi isso.

sábado, 15 de julho de 2017

Que se o amor não se perde em vida ausente,
menos se perderá por morte escura;
porque, enfim, a alma vive eternamente,
e amor é afeito d'alma, e sempre dura.
Luiz Vaz de Camões

Legenda

1- autor?
2- Canção amiga Drummond
3- Pássaro Azul  Charles Bukowski
4- A arte de Picapau no Parque Halfeld

quinta-feira, 13 de julho de 2017

O homem é um aprendiz, a dor é a sua mestra.
 Alfred de Musset

Poetas Velhos

Paulo Leminski

Bom dia, poetas velhos.
Me deixem na boca
o gosto dos versos
mais fortes que não farei.

Dia vai vir que os saiba
tão bem que vos cite
como quem tê-los
um tanto feito também,
acredite.

quarta-feira, 12 de julho de 2017


Legenda

1- Versos Íntimos  Augusto dos Anjos
2- Dois Horizontes  Machado de Assis
3- Shakespeare

segunda-feira, 10 de julho de 2017

domingo, 9 de julho de 2017



Legenda

1- Anjos do Céu  Álvares de Azevedo
2-  Não há vagas  Ferreira Gullar
3- Shakespeare 
4- Shakespeare 

sábado, 8 de julho de 2017

"A vida precisa do vazio: a lagarta dorme num vazio chamado casulo até se transformar em borboleta. A música precisa de um vazio chamado silêncio para ser ouvida. Um poema precisa do vazio da folha de papel em branco para ser escrito. É no vazio da jarra que se colocam flores."
Rubem Alves

terça-feira, 4 de julho de 2017


Legenda

1- Soneto da Separação  Vinícius de Moraes 
2-  Fernando Pessoa
3- Rosa de Hiroshima  Vinícius de Moraes
4-  Soneto da Fidelidade  Vinícius de Moraes

domingo, 2 de julho de 2017


Legenda

1- Poema do amigo aprendiz autor?
2- Cora Coralina
3- Emily Dickinson
4- Círculo Vicioso  Machado de Assis

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Desculpe Rio Paraibuna


Meu zói inté lacrimeja
Quando óio o Paraibuna.
Me dá tanta tristeza
Que a sardade se afunda.

Nadava pelado no rio
Tinha peixe de montão.
As lavadeiras ribeirinhas
Entoavam linda canção.

Minha geração
Viu este rio florescer.
 Mas sem muita atenção
Deixaram ele morrer.

Socorro- ele disse outro dia.
A vida tem que renascer.
Me livre dessa agonia
Não posso mais sofrer.

Lamento meu triste irmão
Os homens estão ocupados.
Quem dera uma simples mão
Curasse teus machucados.
Viliam Dias



quarta-feira, 28 de junho de 2017


Legenda

1- Murilo Mendes
2- Murilo Mendes
3- william Shakespeare
4- William shakespeare
5- William Shakespeare
6- William Shakespeare

terça-feira, 27 de junho de 2017

O Amor É uma Companhia
O amor é uma companhia.
Já não sei andar só pelos caminhos,
Porque já não posso andar só.
Um pensamento visível faz-me andar mais depressa
E ver menos, e ao mesmo tempo gostar bem de ir vendo tudo.
Mesmo a ausência dela é uma coisa que está comigo.
E eu gosto tanto dela que não sei como a desejar.

Se a não vejo, imagino-a e sou forte como as árvores altas.
Mas se a vejo tremo, não sei o que é feito do que sinto na ausência dela.
Todo eu sou qualquer força que me abandona.
Toda a realidade olha para mim como um girassol com a cara dela no meio. 

Alberto Caeiro  
(Heterônimo de Fernando Pessoa)