segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Vivem em nós inúmeros

Vivem em nós inúmeros;
Se penso ou sinto, ignoro
Quem é que pensa ou sente.
Sou somente o lugar
Onde se sente ou pensa.
Tenho mais almas que uma.
Há mais eus do que eu mesmo.
Existo todavia
Indiferente a todos.
Faço-os calar: eu falo.
Os impulsos cruzados
Do que sinto ou não sinto
Disputam em quem sou.
Ignoro-os. Nada ditam
A quem me sei: eu escrevo.

Ricardo Reis (FP)



domingo, 15 de outubro de 2017

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Palavras

Quem me conhece sabe que não sou muito de falar,
uma vez palavras jogadas ao ar
formam vento, redemoinho, tormentas, furacão.
Um dia falei, vi e vivi o vento,
a tormenta e o furacão
que jogou um coração ao chão 
Para dar fim ao coração só com perdão,
mas a marcas do vento, nem o tempo apagará.
Uma vez palavras jogadas ao ar
furacão irão formar.
Muito cuidado então, devemos ter ao falar.
Palavras para construir, palavras para transformar.
palavras sem machucar, palavras só para amar,
palavras brisa para te tocar.
Marisélia Souza
(extraído da antologia poética "Universos Divergentes")

quinta-feira, 12 de outubro de 2017


Legenda

1- Invictus  william Henley
2- Liberdade  Paul Eluard
3- Razão de ser  Leminski

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Eternidade 


Estou preso na eternidade de qualquer momento,
a cada passo,
do seu ciclo.
Sou eterno como qualquer ato,
que fez parte de um todo.
Impossível é ser somado no desconhecido.
Eu sou eterno e estou preso,
talvez por não saber quando hei de partir
na eternidade em que vivo.

Me pergunto!!!

Não! Eu sou eterno.

Porque a eternidade é apenas um novo segundo.
Rogério Tadeu Ferreira

terça-feira, 10 de outubro de 2017


Legenda

1- Razão de ser Leminski
2- Invictus  William Henley
3- Desculpe Rio Paraibuna  Viliam Dias
4- O pássaro azul  Charles Bukowski

domingo, 24 de setembro de 2017

Em um momento

O silêncio deixou-me surdo.
A escuridão deixou-me cego.
A solidão deixou-me mudo.

O tato deixou-me preso.
O cheiro deixou-me opaco.
O gosto deixou-me mecânico.

O sono deixou-me liberto.
O mundo manteve-se estático.
A poesia compusera-se de espaço.

Mas a quase morte se fez de versos.
Quando um anjo me deixou nos dedos.
A dor desfez o desmaio.
Rogério Tadeu Ferreira

sábado, 23 de setembro de 2017


Legenda

1- Metade Oswaldo Montenegro
2- Machado de Assis
3- Machado de Assis
4- Emily Dickinson
5- Machado de Assis

domingo, 17 de setembro de 2017

Para Além da Curva da Estrada


Para além da curva da estrada 
Talvez haja um poço, e talvez um castelo, 
E talvez apenas a continuação da estrada. 
Não sei nem pergunto. 
Enquanto vou na estrada antes da curva 
Só olho para a estrada antes da curva, 
Porque não posso ver senão a estrada antes da curva. 
De nada me serviria estar olhando para outro lado 
E para aquilo que não vejo. 
Importemo-nos apenas com o lugar onde estamos. 
Há beleza bastante em estar aqui e não noutra parte qualquer. 
Se há alguém para além da curva da estrada, 
Esses que se preocupem com o que há para além da curva da estrada. 
Essa é que é a estrada para eles. 
Se nós tivermos que chegar lá, quando lá chegarmos saberemos. 
Por ora só sabemos que lá não estamos. 
Aqui há só a estrada antes da curva, e antes da curva 
Há a estrada sem curva nenhuma. 
Alberto Caeiro

(heterônimo de Fernando Pessoa) 

sábado, 16 de setembro de 2017


Legenda

1-  Autor desconhecido
2- Machado de Assis
3- Machado de Assis
4- Dois Horizontes

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

A bailarina esquecida
Renata De Aragão Lopes


de dentro dessa caixinha,
coisa alguma 
é minha:

nem joia,
nem pluma,
nem lembrança.

sou só uma dança
guardada 
entre miudezas,

uma valsa
jamais vista
a luzes acesas,

como se falsa
a melodia
do pianista.

da caixinha,
eu lhe sopro a clave
pra que você exista.

segunda-feira, 11 de setembro de 2017


Legenda

1- Os instantes superiores da alma  Emily Dickinson
2- O pássaro azul  Charles Bukowski
3- Canção amiga  Drummond

domingo, 10 de setembro de 2017

Os dias são inspiradores, com cheiros, sabores, que revelam o invisível aos olhos, impregnam como a nota mais delicada da canção e conquistam simpatia pela obra truculenta do criador.
Filosofia de Juçui
Sandra Teixeira

sábado, 9 de setembro de 2017


Legenda

1- Eu me importo Renata De Aragão Lopes
2- Miguel de Cervantes
3- Canção do dia de sempre  Mário Quintana
4- Machado de Assis

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

A voz

a voz pede passagem
enquanto eu peço carona

a alma é livre em viagem
o corpo é que me aprisiona

viver exige coragem
disponho do que não sou  dona

o sonho é breve paragem 
de tão leve o corpo ressona

a alma me leva consigo
a um tempo futuro ou antigo

e assim me revela a vantagem:
só mergulho se venho à tona
Renata De Aragão Lopes

terça-feira, 5 de setembro de 2017


Legenda

1- Thainá Cunha poeta juizforana
2- Círculo Vicioso Machado de Assis
3- Liberdade Paul Eluard

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Autor

O sangue me circula dia a dia.
A estrada me caminha passo a passo.
O alimento me dirige nas mãos, na boca,
e se despede do desnecessário.

O coração me bate a cada instante.
O ar me respira como um todo.
Ainda a resto, inítil conduto.

Os lugares me enxergam.
Os ambientes me escutam.
A matéria me toca.

A imaginação me cria.
O pensamento me formula.
A poesia me escreve.
Rogério Tadeu Ferreira

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Cronológico

Lá bem lon...ge
A meia noi...te as batidas
De um bada...lo
Dividem o tem...po,
em presen...te e passa...do.

Masmeuspensamentosnuncaserãodivididos.
No paradigma cerebral existe um outro relógio.
Rogério Tadeu Ferreira

terça-feira, 29 de agosto de 2017


Legenda

1- Augusto Branco
2- Murilo Mendes
3- Questão de óptica  Flávio Cheker
4- Emily Dickinson

domingo, 27 de agosto de 2017

Que é o amor?
A necessidade de sair de si.
O homem é um animal adorador
Adorar é sacrificar-se e prostituir-se
Assim, todo amor é prostituição.

Charles Baudelaire

sábado, 26 de agosto de 2017


Legenda

1- Poema em linha reta  Fernando Pessoa
2- Desculpe Rio Paraibuna  Vilian Dias

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Os meus livros (que não sabem que existo)
São uma parte de mim, como este rosto
De têmporas e olhos já cinzentos
Que em vão vou procurando nos espelhos
E que percorro com a minha mão côncava.
Não sem alguma lógica amargura
Entendo que as palavras essenciais,
As que me exprimem, estarão nessas folhas
Que não sabem quem sou, não nas que escrevo.
Mais vale assim. As vozes desses mortos
Dir-me-ão para sempre.



quinta-feira, 24 de agosto de 2017


Legenda

1- Charles Bukowski
2- Murilo Mendes
3- Murilo Mendes
4- Guimarães Rosa
5-  Guimarães Rosa
6- Guimarães Rosa

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Quase amanhecer

pássaros no fio do telefone
esperando
enquanto eu como o sanduíche
do dia anterior
às 6h da manhã
de uma calma manhã de domingo.

Um sapato no canto
de pé
o outro deitado ao seu lado.

É, algumas vidas foram feitas para
serem desperdiçadas.

Charles Bukowski

segunda-feira, 21 de agosto de 2017


Legenda

1- José Saramago
2- Vladimir Maiakowski
3- Versos Íntimos Augusto dos Anjos
4- Profundamente Manoel Bandeira
5- A Lua no cinema Leminski
6- Leminski

sexta-feira, 18 de agosto de 2017


fragmento
O guardador de Rebanhos 
Mas se Deus é as árvores e as flores 

E os montes e o luar e o sol, 
Para que lhe chamo eu Deus? 
Chamo-lhe flores e árvores e montes e sol e luar; 
Porque, se ele se fez, para eu o ver, 
Sol e luar e flores e árvores e montes, 
Se ele me aparece como sendo árvores e montes 
E luar e sol e flores, 
É que ele quer que eu o conheça 
Como árvores e montes e flores e luar e sol. 

Alberto Caieiro
hereterônimo
Fernando Pessoa

quarta-feira, 16 de agosto de 2017


Legenda

1- Murilo Mendes
2- Drummond
3- Murilo Mendes
4- O teu olhar  Florbela Spanca
5- Murilo Mendes

terça-feira, 15 de agosto de 2017

"De tanto ver triunfar as nulidades,
de tanto ver prosperar a desonra,
de tanto ver crescer as injustiças,
de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus.
O homem chega a desanimar das virtudes,
a rir-se da honra,
a ter vergonha de ser honesto."
Rui Barbosa

segunda-feira, 14 de agosto de 2017


Legenda

1-  Pablo Neruda
2- Drummond
3- Clarice Lispector
4- Clarice Lispector
5- Clarice Lispector
6- Emily Dickinson

domingo, 13 de agosto de 2017

Sempre nos pedem para compreender o ponto de vista do próximo não importa quão antiquado tolo ou obnóxio.
Pedem para enxergar com bondade todos os seus erros, suas vidas desperdiçadas, principalmente se eles são velhos.
Mas envelhecer é tudo que nós fazemos. Eles envelheceram mal porque viveram fora de foco, eles se recusaram a entender. Não é culpa deles? É culpa de quem? Minha?
Me pedem para esconder deles meu ponto de vista por medo de seus medos.
Envelhecer não é crime
mas a vergonha de uma vida deliberadamente desperdiçada entre tantas
vidas deliberadamente desperdiçadas
é. 
Charles Bukowski

sábado, 12 de agosto de 2017


Legenda


1- Murilo Mendes
2- Murilo Mendes
3-  Hamlet  Shakespeare
Que se o amor não se perde em vida ausente,
menos se perderá por morte escura;
porque, enfim, a alma vive eternamente,
e amor é afeito d'alma, e sempre dura.

Luiz Vaz de Camões

quinta-feira, 10 de agosto de 2017


Legenda
1- Razão de ser  Leminski
2- Murilo Mendes
3- Murilo Mendes
4- Murilo Mendes

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Não chores diante do meu túmulo
Mary Elizabeth Fry

Não chore à beira do meu túmulo,

eu não estou lá… eu não dormi.
Estou em mil ventos que sopram,
E a neve macia que cai.
Nos chuviscos suaves,
Nos campos de colheita de grãos.
Eu estou no silêncio da manhã.
Na algazarra graciosa,
De pássaros a esvoaçar em círculos.
No brilho das estrelas à noite,
Nas flores que desabrocham.
Em uma sala silenciosa.
No cantar dos pássaros,
Em cada coisa que lhe encantar.
Não chore à beira do meu túmulo desolado,
Eu não estou lá – eu não parti.



terça-feira, 8 de agosto de 2017


Legenda 

1- Invictus  william Henley
2- Murilo Mendes
3- Miguel de Cervantes
4- Desculpe Rio Paraibuna Viliam Dias

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Ainda a dor da chibatada
Antônio Isair da Silva 
poeta juizforano
(jornal do poeta)

Minha vó era negra de fazenda
e meu avô fez dela sua amante.
Meu pai nasceu em meio a essa contenda,
filho bastardo...nada relevante.

Órfão de pai e mãe. Que coisa horrenda!
analfabeto- uma vida humilhante!
Lutou com amargura asas tremenda;
Mas, para os filhos, foi muito importante.

Hoje me escondo atrás da pele branca
com sangue de uma raça livre e franca,
mas continua a ser discriminada.

Jornalista- poeta conhecido,
mas, quando vejo um negro preterido,
ainda sinto a dor da chibatada.
(poesia premiada em Matias Barbosa)

domingo, 6 de agosto de 2017



Legenda

1- Liberdade Paul Eluard
2- Miguel de Cervantes
3- Emily Dickinson
4- Murilo Mendes
5- Shakespeare

sábado, 5 de agosto de 2017

Brincos
Rogério Tadeu Ferreira
poeta recreense

Tenho vontade de chorar,
mas minhas lágrimas não saem.
Tenho vontade de correr,
mas minhas pernas não se movem.
Tenho vontade de amar alguém,
mas todos só sentem pena de mim.
Tenho vontade de ser um gigante nas palavras,
mas sou apenas um inseto que ninguém escuta.
Tenho vontade de fugir, mas a prisão é a vida.
Tenho vontade de morrer,
mas de que adianta se a esperança só virá após.
Tenho um corpo descrente que não sabe nem ao menos sentir.
Tenho vontade de voltar ao passado,
mas isso é impossível.
Tenho vontade de sofrer,
mas não sei porque consigo mais do que eu queria.
Tenho vontade de não mais repetir este início,
mas é o coração quem fala por mim.
Tenho vontade de destruir a solidão,
mas não sou abstrato.
Tenho vontade de ser feliz
amado e compreendido.
Tenho vontade de saber se me valeu 
algo ter escrito tudo isso

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Universo
Rogério Tadeu Ferreira
(poeta de Recreio MG)

Eu vejo um pequeno ponto,
livre na terra.
Um cisco talvez,
talvez uma pedra

Qual importa o que era?
Qual importa seu tamanho?
Qual importa sua hera?

Será sempre um ponto nesta esfera
Se ele fala não o escuto.
se ele imagina?!
Porque não, eu imagino.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017


Legenda

1- Machado de Assis
2- Machado de Assis
3- Emily Dickinson
4- A Carolina  Machado de Assis
5- Machado de Assis 

terça-feira, 1 de agosto de 2017

A juventude e a flor
Divânia Shuenck
(poetisa juizforana)
A juventude é como uma flor,
A princípio meio indecisa...
Quanto ao tom perfeito!
A tonalidade vem com o tempo,
E quando alcança a cor exata
É soberana e bela,
Contudo extremamente frágil!
Todos a desejam e a invejam!
E sem perceber vão sugando 
Sua beleza em pequenas doses,
Até que o mais vil e mesquinho,
Resolvi por um mero capricho
Arrancá-la...
Diminuindo assim sua doce existencia!
Ou quando a sorte sopra a seu favor,
A flor fica envelhecendo...
E perdendo lentamente seu brilho e sua cor
Um dia ela cai discretamente...
Volta à terra,
Sua única e inseparável amiga!
É o fim e o princípio,
De todos os mortais.





Legenda

1- Círculo Vicioso  Machado de Assis
2- Olavo Bilac
3- No meio do caminho  Drummond
4- Machado de Assis
5- Além da terra, além do céu  Drummond

segunda-feira, 31 de julho de 2017

domingo, 30 de julho de 2017


Legenda

1- Murilo Mendes
2- Emily Dickinson
3- Murilo Mendes
4- Machado de Assis
5- Fernando Pessoa
6- Machado de Assis
7- Murilo Mendes
fragmento
Tabacaria
Álvaro de Campos
heterônimo
Fernando Pessoa

Estou hoje vencido, como se soubesse a verdade. 
Estou hoje lúcido, como se estivesse para morrer, 
E não tivesse mais irmandade com as coisas 
Senão uma despedida, tornando-se esta casa e este lado da rua 
A fileira de carruagens de um comboio, e uma partida apitada 
De dentro da minha cabeça, 
E uma sacudidela dos meus nervos e um ranger de ossos na ida. 


terça-feira, 25 de julho de 2017


Legenda

1- Murilo Mendes
2- Poema em linha reta  Fernando Pessoa
3- Machado de Assis