sábado, 5 de agosto de 2017

Brincos
Rogério Tadeu Ferreira
poeta recreense

Tenho vontade de chorar,
mas minhas lágrimas não saem.
Tenho vontade de correr,
mas minhas pernas não se movem.
Tenho vontade de amar alguém,
mas todos só sentem pena de mim.
Tenho vontade de ser um gigante nas palavras,
mas sou apenas um inseto que ninguém escuta.
Tenho vontade de fugir, mas a prisão é a vida.
Tenho vontade de morrer,
mas de que adianta se a esperança só virá após.
Tenho um corpo descrente que não sabe nem ao menos sentir.
Tenho vontade de voltar ao passado,
mas isso é impossível.
Tenho vontade de sofrer,
mas não sei porque consigo mais do que eu queria.
Tenho vontade de não mais repetir este início,
mas é o coração quem fala por mim.
Tenho vontade de destruir a solidão,
mas não sou abstrato.
Tenho vontade de ser feliz
amado e compreendido.
Tenho vontade de saber se me valeu 
algo ter escrito tudo isso

2 comentários:

  1. Renda-se
    como eu me rendi
    Mergulhe no
    que vc não conheci
    Como eu mergulhei
    Não se preocupe em entender
    Viver ultrapassa
    Qualquer entendimento.
    Clarice Lispector

    ResponderExcluir